Main menu

Skip to content

É lançada função de pagamentos via WhatsApp no Brasil

Agora pessoas físicas e pequenas empresas poderão enviar dinheiro e fazer pagamentos via WhatsApp no Brasil! Segundo o aplicativo – que é do Facebook –  o recurso está disponível a partir de hoje e é realizado diretamente nas conversas do app. Não haverá cobrança de taxas para consumidores que enviarem dinheiro ou fizerem compras, já as pessoas jurídicas desembolsarão uma taxa de processamento para receber pagamentos de clientes.

O novo recurso é realizado por meio do Facebook Pay. Segundo o WhatsApp, está clara a intenção: “No futuro, queremos que pessoas e empresas possam usar os mesmos dados de pagamento em toda a família de aplicativos do Facebook”, aponta o mesmo, por meio de nota.

Mark Zuckerberg declarou em sua conta no Facebook: 

“Hoje estamos começando a lançar pagamentos para pessoas que usam o WhatsApp no ​​Brasil. Estamos facilitando o envio e o recebimento de dinheiro como o compartilhamento de fotos. Também estamos permitindo que pequenas empresas façam vendas diretamente no WhatsApp. 

Para isso, criamos o Facebook Pay, que fornece uma maneira segura e consistente de efetuar pagamentos em nossos aplicativos. Quero agradecer a todos os nossos parceiros por tornar isso possível. Estamos trabalhando com bancos locais, incluindo o Banco do Brasil, Nubank, Sicredi e Cielo, o principal processador de pagamentos para comerciantes no Brasil.

O Brasil é o primeiro país em que estamos lançando amplamente pagamentos no WhatsApp. Mais em breve!” 

Ao realizar as transações será necessário informar um PIN de 6 dígitos ou usar a biometria do celular, para evitar transações não autorizadas. 

No início, os usuários poderão utilizar os cartões de débito e crédito das bandeiras Visa e Mastercard, emitidos pelo Banco do Brasil, Nubank e Sicredi. Posteriormente, devido ao modelo de programa aberto, que facilita a entrada de mais participantes no futuro, esse leque poderá ser ampliado, informa a empresa. Todos os pagamentos serão processados pela Cielo.

Fonte: Mark Zuckerberg no Facebook

Postado por Ana Falkine em 15 de junho de 2020