Main menu

Skip to content

Apesar de ser um termo conhecido, a estratégia de marketing pode ser confundida com outras coisas ou compreendida de forma incompleta, por isso é preciso explicar o que significa. 

Estratégia de marketing é planejar com antecedência tudo o que será feito para divulgar a sua marca, produto ou serviço, e acompanhar os resultados dessas ações, a fim de entender o que deve ser melhorado ou mantido.

A elaboração da estratégia permite que a divulgação seja feita da melhor maneira possível, alcançando potenciais clientes. Dessa forma, é possível evitar que as campanhas ou ações sejam desperdiçadas com pessoas que não estão interessadas no que você tem para oferecer.

As campanhas publicitárias e lançamentos fazem parte da estratégia, porém, elas não devem se resumir apenas nestas ações. Elas precisam mostrar às pessoas um caminho que desperte o conhecimento do seu produto e leve-as até a compra.

Por que ela é tão importante?

A estratégia é importante para que você consiga pensar em maneiras de investir que realmente atinjam o público ideal, com baixo custo e alto impacto. Sem planejamento, ela provavelmente demandará mais gasto, trará menos alcance e atingirá pessoas aleatórias.

É interessante entender que o público não precisa apenas do seu produto, mas também de informações relevantes sobre assuntos importantes. Agregar valor ao serviço que é oferecido é uma boa maneira de manter os clientes interessados, pois eles entendem que não é apenas um item, mas algo que resolve um problema.

Talvez eles não entendam a importância de uma reforma na casa, por exemplo, mas você pode demonstrar como elas podem evitar gastos futuros. Dessa maneira, o interesse pelo assunto aumentará e a probabilidade de que façam negócios com a sua loja também.

Porém, a percepção destas necessidades e possibilidades depende de uma boa estratégia de marketing. Por isso, ela é essencial para direcionar os esforços na captação de novos clientes e na otimização dos resultados do negócio.

O rastreamento de suas principais métricas de marketing é essencial para a execução de um programa de marketing eficaz e responsável. Se você não está medindo seu desempenho, como saber se está no caminho certo? 

Além disso, você também precisa saber quais são as métricas corretas, alinhadas com seus objetivos comerciais mais amplos. Você está acompanhando as estatísticas corretas? Quais são os pontos de dados corretos para medir para o seu negócio?

Atualmente, existem várias medidas de desempenho nas quais você pode acompanhar, mas nesta postagem  descreveremos algumas das métricas mais importantes que você deve acompanhar – e como elas ajudarão a melhorar o seu desempenho geral.

1. Leads

Gerar leads é uma das tarefas mais difíceis e importantes de marketing. A maior parte do que o marketing faz tem como objetivo encontrar ou produzir leads, isto é, pessoas potencialmente interessadas no seu produto e que podem ser convertidas em clientes pagantes. 

O rastreamento de leads é a primeira coisa que você deve fazer. É essencial rastrear o número total de leads gerados por mês e os leads gerados por cada canal de marketing (marketing de mídia social, publicidade social, publicidade de pesquisa, marketing de conteúdo, email-marketing, etc). 

Embora não haja nada de errado com o rastreamento de leads usando o Excel, pode ser mais útil automatizar o processo usando uma ferramenta dedicada de Gerenciamento de Relacionamento com o Cliente, como HubSpot ou Salesforce . Essas ferramentas dedicadas possuem recursos específicos para ajudá-lo a acompanhar o desempenho e encontrar novas oportunidades.

2. Leads qualificados

Medir seus “leads qualificados” é seu próximo passo-chave. Os leads qualificados são aqueles dos quais você já viu algum nível de envolvimento – não estão mais “potencialmente” interessados ​​no seu produto, na verdade responderam à sua divulgação ou se envolveram de qualquer outra maneira e agora podem ser transferidos para sua equipe de vendas. 

Você pode calcular a taxa de leads qualificados para leads usando esta fórmula:

(Leads qualificados / total de leads) x 100 = taxa de lead qualificado

Isso ajudará você a entender melhor o nível de eficácia de suas iniciativas de marketing.

3. Retorno do investimento em marketing (ROMI)

Como fica claro em seu nome, a ROMI não difere muito da métrica mais conhecida de “retorno do investimento” (ROI). Mas ele se concentra mais especificamente no investimento em marketing – a métrica ROMI mede quanta receita uma campanha de marketing está gerando em comparação com o custo de sua execução.

O ROMI é calculado usando esta fórmula: 

ROMI = (receita de marketing – custo de mercadorias – despesas de marketing) / despesas de marketing) * 100.

Se a ROMI for inferior a 100%, isso significa que seus investimentos em marketing custam aos negócios, mas se forem mais de 100%, o impulso foi lucrativo.

Infelizmente, nem sempre é possível calcular o ROMI, e o resultado nem sempre representa a realidade. É por isso que a ROMI é apenas uma métrica a considerar e você nunca deve enfatizar demais uma única métrica por conta própria. 

4. Referências

As empresas geralmente negligenciam as referências de rastreamento, mas é uma consideração importante, especialmente no marketing digital. 

Existem várias maneiras de rastrear as referências. Para lojas físicas, processos manuais de referência, usando cartões e cupons por exemplo, podem ser as opções mais fáceis. No entanto, os programas de referência mais populares geralmente são executados e rastreados online.     

A versão mais comum de um programa de referência online começa com um cliente que se inscreve no programa e depois convida seus amigos ou seguidores por meio de um link ou código de referência exclusivo. O Uber e o AirBnB são conhecidos por terem usado os sistemas de referência como sua principal abordagem para atrair clientes – através de seus processos, todos os amigos inscritos receberam um desconto pelo serviço, o que ajudou a aumentar a base de clientes. 

Para rastrear essas referências, tudo o que você precisa é de uma planilha do Excel ou pode usar o Google Analytics, desde que você tenha um código exclusivo para cada novo visitante. 

Você também pode calcular a taxa de referências usando a fórmula:

Número total de clientes / Número de referências = Taxa de referência

Você precisa operar dentro das regras de cada plataforma e usar programas que são valiosos para o seu público, mas as referências podem ser uma ótima maneira de ajudar a aumentar o conhecimento da marca, o que nos leva ao próximo ponto.

5. Reconhecimento da marca

O reconhecimento da marca quer dizer, essencialmente, até que ponto os consumidores estão familiarizados com uma determinada marca. Pode ser uma das métricas mais vagas dessa lista, pois é difícil avaliar quantas pessoas já ouviram falar da marca. Mas também pode ser valioso, principalmente quando comparado às marcas concorrentes. 

Para avaliar o reconhecimento da marca, os profissionais de marketing podem rastrear primeiro o número de menções que sua marca gera online, inclusive em postagens de mídia social, blogs, etc. Isso pode ser rastreado através de várias ferramentas de monitoramento de mídia social, incluindo Menção, Hootsuite, BuzzSumo, Awario, etc. 

Você também pode combinar essas mesmas métricas com as de seus concorrentes para ter uma idéia da participação comparativa da voz .  

Embora essas métricas não mostrem quantas pessoas conhecem a marca, elas mostram quantas pessoas estão falando sobre ela, o que pode ser uma boa maneira de medir o impacto contínuo de seus esforços de reconhecimento da marca. 

6. Depoimentos e críticas

Depoimentos e críticas também são conhecidos como “marketing boca a boca”. Toda empresa deve incentivar análises e depoimentos – eles podem fazer ou interromper suas vendas quando um cliente em potencial pesquisar sua marca online. E, é claro, também vale a pena medir isso.

Usando ferramentas como Reputology ou ReviewTrackers, você pode encontrar as críticas da sua marca, coletá-las em um único local e medir o crescimento delas todos os meses. Você também deve analisá-los por sentimento, a fim de avaliar críticas positivas e negativas separadamente. 

7. Custo de aquisição de clientes (CAC)

O custo de aquisição do cliente analisa quanto custa, em média, converter um lead em um cliente. É outra métrica, além da ROMI, que pode ajudar a evitar desperdiçar dinheiro em campanhas de marketing que simplesmente não são entregues.

O CAC é calculado com a fórmula: 

Valor gasto na geração de leads / Número de novos clientes como resultado da geração de leads = Custo de aquisição de clientes

Assim como na ROMI, você não deve confiar apenas nela e superestimar a métrica, pois há várias advertências. Por exemplo, uma empresa pode ter investido em SEO em estágio inicial e, como tal, não pode esperar ver resultados mensuráveis ​​por algum tempo.

8. Valor da vida útil do cliente (CLV)

O valor da vida útil do cliente mostra quanta receita cada cliente gera para seus negócios, não apenas em todas as compras, mas em todo o relacionamento. O CLV mostra quantos clientes você precisa para empatar e obter lucro.

Aumentar o valor da vida útil do cliente é importante, pois geralmente é mais barato manter um cliente existente do que converter um novo.

A fórmula mais simples para medir o CLV é a seguinte:

Receita do cliente por ano x Duração do relacionamento em anos – Custos totais de aquisição e atendimento ao cliente = SLV

Essa é uma medida bastante básica, mas pode fornecer informações valiosas para ajudar a manter seus esforços no caminho certo.

Isso é tudo?

Essas são as métricas que consideramos importantes em 2020, mas há muito mais em que você pode se concentrar.

O marketing é multifacetado e tudo – de SEO a taxas de abertura de e-mail –  requer atenção. Certifique-se de gastar pelo menos a mesma quantidade de tempo de marketing que mede, pois o último o ajudará a formular estratégias mais eficazes e adaptáveis ​​ao longo do tempo.

A mídia social passou por muitas mudanças no curto espaço de tempo em que vivemos. Embora as usemos para tudo, desde conversas ociosas a discussões acaloradas, talvez o maior desenvolvimento seja o quão integral se tornou o reconhecimento da marca, o atendimento ao cliente e as vendas. À medida que a maneira como fazemos negócios continua evoluindo, uma presença ativa nas mídias sociais nunca foi tão importante para empresas de todas as formas e tamanhos.

Rich Sutherland é o diretor administrativo da Sobananapenguin, uma agência de marketing digital em Hull. Embora a maioria de seus clientes se encontre em Yorkshire, a equipe fornece regularmente serviços de redação, gerenciamento de mídia social e marketing de entrada para organizações em todo o Reino Unido. Apaixonada pelo marketing moderno, parte da missão da empresa é explicar aos empresários por que as comunicações via mídia social são tão essenciais para o futuro de suas operações.

“A geração Y é formada por pessoas que nasceram entre 1981 e 1996 e aquelas que são categorizadas como Geração Z nasceram depois de 1996”, diz Rich. “No momento, esses grupos representam 38% da força de trabalho, que deve aumentar para 58% na próxima década. Enquanto isso, o GlobalWebIndex mostra que as mídias sociais são usadas tanto quanto os mecanismos de pesquisa por essas gerações ao pesquisar produtos e serviços. É evidente que a mídia social desempenha um papel de liderança no crescimento da marca e nas transações de varejo, e é por isso que as empresas precisam incorporá-la em suas estratégias de marketing mais do que nunca. ”

Outro fator essencial é como as plataformas de mídia social estão em constante desenvolvimento. O LinkedIn já foi usado apenas para publicar notícias corporativas, oportunidades de recrutamento e sucessos da empresa, mas agora ganhou uma vibe mais relaxada, com muitos usuários também compartilhando opiniões pessoais e conteúdo alegre. Em 2019, a plataforma adicionou o recurso de adesivo que permite a sobreposição de desenhos animados brilhantes e engraçados nas fotos de um usuário, o que alguns podem considerar mais apropriado para o Instagram ou Snapchat. Essa nova ferramenta reflete uma mudança no comportamento do usuário, transformando gradualmente o que antes era um site de rede relativamente abafado em uma comunidade muito mais compreensível e amigável.

“Algo que ouço o tempo todo ao conversar com novos clientes é que eles acreditam que uma plataforma ou outra está saindo”, diz Rich. “No entanto, isso geralmente se deve a experiências subjetivas e preferência individual, em vez de tendências genuínas e o que é melhor para seus negócios. De fato, todos os quatro principais players – Facebook, Twitter, Instagram e LinkedIn – permanecem extremamente populares entre os consumidores e podem ser usados ​​de maneiras diferentes para fazer crescer uma marca.”

Segundo a Hootsuite, 86% das organizações B2B preferem o LinkedIn e 98% das empresas B2C escolhem o Facebook como sua plataforma favorita. É verdade que esses são dados úteis que podem ajudar a moldar a atividade de marketing, mas Rich é inflexível ao dizer que a imagem maior deve sempre estar em foco:

“Tomar estatísticas limitadas como evangelho pode ser um jogo perigoso. Se eu perguntasse a alguém qual era sua fruta favorita e dissessem laranjas, eu não assumiria que elas não gostam de maçãs. O mesmo vale para as mídias sociais de uma empresa – se o público principal estiver no LinkedIn, a equipe da Sobananapenguin garante que sua página fique mais forte e polida, fatorando simultaneamente maneiras de agregar valor aos outros canais, aumentando a relevância e o envolvimento.”

Com mais de uma década de experiência no gerenciamento de contas de mídia social para setores que incluem contabilidade, direito, TI, varejo, tecnologia, produtos farmacêuticos, engenharia e artes, Rich acredita que as marcas devem criar seus próprios caminhos digitais, em vez de seguir cegamente os de outros:

“Vi tantas empresas que postam no Facebook algumas vezes por dia, o Twitter aleatoriamente e o LinkedIn sempre que lembram que a conta existe. Pior ainda, o conteúdo é frequentemente postado em cruz sem ajustá-lo para se adequar ao formato de cada site. A consistência misturada à personalização é crucial, pois o conteúdo superficial e a falta de capacidade de resposta podem fazer com que um público em particular se sinta excluído, o que reflete mal na marca.

“A chave é equilibrar as postagens regulares com técnicas de engajamento específicas para cada plataforma, tornando o cliente um processo fluídico em toda a sua presença social. Na linha de frente, está a voz e a visão únicas da sua empresa, que convertem a curiosidade em costume.”

Você está procurando maneiras de gerar mais engajamento nas mídias sociais? Deseja garantir que você publique os melhores horários para o seu público? 

Embora os horários exatos para a publicação variem com base em cada grupo de público-alvo exclusivo, a equipe da CoSchedule elaborou  um guia baseado em uma série de estudos e relatórios, destacando quando as marcas em vários setores tendem a ter mais engajamento em cada uma das principais plataformas sociais.

Existem variáveis ​​únicas para cada empresa, mas essa visão geral pode servir como um bom ponto de partida para planejar sua estratégia de postagem social e maximizar o envolvimento. 

Segundo os estudos da CoSchedule, os melhores horários para postagem de acordo com a rede social e o tipo de empresa são:

  1. Facebook
  • B2C : 9h, 10h, 12h, 13h, 16h e 17h;
  • B2B: 9h, 15h e 16h;
  • Softwares: 9h, 15h e 17h;
  • Empresas de saúde: 6h, 7h, 9h, 11h e 12h;
  • Empresas de mídia: 7h, 11h e 18h;
  • Universidades e faculdades: 8h, 12h e 15h.
  1. Instagram
  • B2C: 9h, 13h e 21h;
  • B2B: 12h, 13h, 17h, 18h, 20h e 21h;
  • Softwares: 11h, 13h e 17h;
  • Empresas de saúde: 10h e 14h;
  • Empresas de mídia: 9h, 13h e 15h;
  • Universidades e faculdades: 17h e 18h. 
  1. Twitter: 
  • B2C: 8h,9h,10h,12h, 19h, 20h e 21h;
  • B2B: 7h,8h,11h,18h e 21h;
  • Softwares: 10h, 14h e 18h;
  • Empresas de saúde: 9h e 18h;
  • Empresas de mídia: 6h,7h,11h,19h,20h e 22h;
  • Universidades e faculdades: 8h,17h,19h e 21h. 
  1. LinkedIn: 
  • B2C: 12h;
  • B2B: 8h,10h,11h,12h e 18h;
  • Softwares: 9h, 11h, 12h, 17h e 18h;
  • Empresas de saúde: 10h, 12h, 13h e 14h;
  • Empresas de mídia: 8h;
  • Universidades e faculdades: 10h. 
  •  
  1. Pinterest: 
  • 8h, 9h, 10h, 11h, 14h, 15h e 16h. 

Ainda segundo os estudos da CoSchedule, os melhores dias da semana para o engajamento de postagens de acordo com a rede social e o tipo de empresa são: 

  1. Facebook: Quinta-feira, sexta-feira, sábado e domingo;
  2. Instagram: Sexta-feira;
  3. Twitter para B2C: Sábado e domingo;
  4. Twitter para B2B: Segunda-feira, terça-feira, quarta-feira, quinta-feira e sexta-feira;
  5. Linkedin: Quarta-feira. 

 

A AKUN Digital espera ter te ajudado com estas informações.  E para anunciar seu negócio com ainda mais qualidade e resultados, entre em contato com a nossa equipe e agende uma reunião. 

Se você deseja maximizar o desempenho dos seus anúncios no Facebook, deve estar disposto a dedicar tempo e experimentar diferentes opções de segmentação por público-alvo e elementos criativos para ver quais ganham mais força, ajudando a refinar seus resultados . 

Para ajudar com isso, o Facebook adicionou esta semana a seção “Experiências” ao Ads Manager, que fornecerá um local central para todos os seus testes e resultados de anúncios, facilitando o rastreamento e a medição de suas variáveis ​​- e, finalmente, aprimorando suas aproximação.

Como explicado pelo Facebook :

“As experiências combinam vários tipos de testes, anteriormente rotulados como Test and Learn e Split Testing, permitindo que os profissionais de marketing realizem campanhas de teste A / B e meçam a conversão e o aumento da marca em um só lugar. Com uma interface mais simplificada no Ads Manager, é mais fácil escolher o teste certo para uma meta de negócios, criar testes, dimensionar o que está funcionando, integrar insights às estratégias de marketing e ajudar a empresa a crescer “.

Funcionalmente, as Experiências não adicionam nada de novo, mas, como observa o Facebook, ao integrar suas várias opções de teste em um único local, será mais fácil selecionar os testes corretos para suas campanhas.

Cada opção de teste inclui solicitações explicativas adicionais para obter mais contexto, para que você possa entender melhor o que está testando. Você pode ver aqui (abaixo) que há um “i”cinza para obter informações adicionais ao lado do nome do teste, enquanto também há um botão “Saiba mais” abaixo de cada um.

Quando você clica em um teste, também recebe mais avisos informativos no processo de configuração, ajudando a orientar seu caminho.

A maioria desses elementos informativos já estava acessível, mas, por meio de Experimentos, o Facebook os tornou mais fáceis de acessar. Ao coletar todos esses recursos em um local central, os anunciantes poderão ter um melhor contexto sobre os testes que podem fazer, e o insight que cada um fornece.

Como observado, a única maneira de obter o melhor desempenho de seus anúncios do Facebook é experimentar, segmentar e depois testar e testar novamente. Esse é o princípio central de qualquer programa bem-sucedido de anúncios no Facebook – há uma razão pela qual a campanha de Trump publicou cerca de 5,9 milhões de variantes de anúncios do Facebook durante seu impulso nas eleições presidenciais dos EUA em 2016.

Pequenas mudanças podem fazer uma grande diferença – uma imagem diferente, uma redação diferente, um CTA alternativo. Cada um desses elementos específicos é importante, mas a única maneira de entender exatamente o que é testando. 

As experiências tornarão mais fácil fazer exatamente isso – e definitivamente, todos os anunciantes sérios do Facebook devem considerá-lo.

 

Você está procurando maneiras de conduzir seus negócios através do caos do coronavírus? Deseja aproveitar o bloqueio global e o aumento do uso online?

A equipe da Grazitti Interactive compartilha neste infográfico suas novas tendências de marketing de conteúdo, que falam com o consumidor e prometem dominar este segmento em 2020, formando um leque variado de possibilidades para o profissional de marketing. Compõem a lista:

1) Conteúdo em vídeo;
2) Conteúdo interativo;
3) Conteúdo hiper-dinâmico;
4) Conteúdo centrado em SEO;
5) Conteúdo personalizado da pesquisa por voz.

Confira o infográfico e entenda melhor:

Existem várias maneiras de a sua empresa fazer publicidade, a exemplo da publicidade offline. Nela você considera usar flyers, banners impressos, folders,  outdoors, anúncios em jornais, revistas e até mesmo a televisão, utilizando de uma comunicação ampla e falando a um público abrangente. Já a publicidade online é aquela realizada em mídias como sites, blogs e redes sociais, fazendo com que os consumidores te encontrem com mais facilidade através de estratégias digitais objetivas e direcionadas – tudo isso pelo processo de revolução digital atuante na propaganda. 

A publicidade online possui muita força atualmente, já que a internet é o principal meio de veiculação de informações e geração de novos negócios – afinal,  o marketing como ferramenta para impulsionar diversos tipos de negócio não é novidade. Sempre foi através dele que as corporações conseguiram agregar valor aos seus produtos e serviços, e apresentá-lo ao cliente, fazendo o capital girar. Mas diante da grande proporção que as redes tomaram, essa ferramenta precisou se adaptar, e a partir de então, surgiu o marketing digital, colocando a empresa em evidência onde o consumidor está – na internet – possibilitando às corporações o usufruto das oportunidades, pois nesse novo ambiente de marketing, conduzido pela tecnologia, as marcas obtêm espaço para falar diretamente com seu público, que é quem define onde ele pode ser encontrado e como ele quer receber informações. 

Entretanto, apesar gerar bons resultados, a publicidade online enfrenta diversos desafios: exposições exageradas de anúncios que incomodam o usuário, imagens e vídeos de carregamento lento, e também a cautela necessária para não invadir a privacidade do consumidor ou utilizar seus dados pessoais da maneira indevida.  Além disso, as mudanças nesse universo ocorrem constantemente, e assim, as ações precisam estar em constante movimento também.  

Apesar do grande espaço conquistado pela publicidade online, é  equivocado pensar que uma forma é melhor que a outra, pois cada mídia tem sua importância – a exemplo do rádio que possui flexibilidade ao poder ser “consumido” enquanto o ouvinte realiza outras ações – e o interessante é que elas sejam trabalhadas de forma complementar.  O que aconteceu, na verdade, é que nas últimas décadas as alternativas aumentaram significamente, fazendo com que hoje as empresas possam expor sua marca em qualquer meio. Vale ressaltar que promover uma marca sem o conhecimento necessário pode gerar problemas, seja o meio on ou offline. 

Com um universo de tantas fontes alternativas, a questão que fica é: como manter meu negócio relevante? Marque uma reunião e venha descobrir com a nossa equipe a melhor forma de publicidade para impulsionar a sua empresa!

Você conhece o marketing de oportunidade? Ele se refere a utilização do que está acontecendo no mundo para elevar o buzz de uma empresa. O grande diferencial dessa estratégia é o baixo custo empregado, o que é ideal para empresas que não são muito competitivas em relação ao preço, afinal, em muitos casos só é necessário o trabalho de um designer, briefing e um canal de comunicação – além de muita criatividade. 

Contudo, é muito importante saber diferenciar marketing de oportunidade e oportunismo – comportamento ou conduta de quem busca obter vantagens em benefício próprio, não se preocupando com questões éticas ou morais. Nesse sentido, muitas companhias ignoram a falta de contexto e conexão entre sua marca e o assunto ou a causa, e acabam correndo riscos desnecessários, principalmente quando se trata de alguma tragédia ou causa social. Além disso, é comum consumidores reclamarem sobre a utilização de seus dados por empresas e a alta frequência de mensagens recebidas, mesmo sem autorização.

Se você pretende utilizar este instrumento com sucesso, é primordial conhecer os aspectos legais que devem ser seguidos, como direitos autorais ou de imagem, e respeitar o direito do consumidor de dizer não – afinal, dessa maneira você conquista a confiança do seu cliente.  Também é importante ser cauteloso, pois nem sempre o assunto do momento trará uma repercussão benéfica para sua instituição – nesse sentido, mais importante ainda é o reconhecimento do público alvo.

Por estes e outros demais motivos, o ideal é que as campanhas sejam realizadas por profissionais da área, garantindo bons resultados. Quer entender melhor sobre este segmento de marketing? Entre em contato com nossa equipe e marque uma reunião!

Certamente você já ouviu a expressão “Uma imagem vale mais que mil palavras”. Mas você conhece a importância que a fotografia tem para o seu negócio? 

Através do estímulo ao desejo do cliente, a fotografia potencializa as vendas no ramo gastronômico, pois resgata  sensações e sentimentos relacionados aos pratos retratados. Imagens fortes e atraentes geram vontade de comer e fazem com que o observador imagine esta experiência,  e até tenha a sensação de sentir o gosto da comida. 

Em contrapartida, é necessário ressaltar que fotos de comida mal produzidas possuem o efeito contrário: acabando com o apetite de quem as vê,  podem causar más impressões sobre seu estabelecimento e gerar dúvidas sobre a qualidade de seus produtos e prejudicar a reputação do seu trabalho. 

Assim, a captação dessas imagens deve ser realizada num trabalho delicado, por um fotógrafo profissional, que irá explorar formas, cores, luz, sombra, brilho, textura, composição, enquadramento, objetos e combinações da maneira correta. Dessa forma, a melhor experiência visual será oferecida ao seu cliente. 

Se você deseja conhecer mais sobre as oportunidades que a fotografia pode oferecer ao seu negócio, marque uma reunião e descubra o que nossos especialistas podem fazer pela sua empresa! 

Se você deseja manter suas vendas em alta e ter clientes chegando a todo momento, existe a necessidade de fazer com que seu negócio seja reconhecido e comentado, que ele esteja “na boca do povo”. Por isso, a publicidade não pode ser deixada de lado! Cabe a ela tornar a existência do seu empreendimento pública e apresentá-lo ao mercado, disseminando as vantagens e inovações do seus produtos ou serviços, o que é crucial para despertar a atenção do consumidor, assim como para criar o reconhecimento preciso e estabelecer o nome de sua empresa como uma grande marca. 

Além de gerar vendas utilizando estratégias de comunicação e persuasão, e permitir o crescimento do negócio, a publicidade ajuda a formar a opinião dos consumidores sobre a sua marca, pois quanto mais efetiva for a divulgação, maior será a percepção do público sobre o mesma. Dessa forma, é preciso ter cuidado: as campanhas publicitárias devem refletir a realidade da sua empresa, uma vez que disparidades percebidas entre elas podem prejudicar a imagem do seu negócio – que quer, afinal, ser muito bem lembrado e para isso é necessário que o instrumento valioso que é a publicidade seja usado da maneira correta: com responsabilidade.  

Assim, para possibilitar ao seu negócio inúmeras oportunidades, é fundamental ter uma equipe especializada e aplicada a buscar os resultados desejados, garantindo o crescimento e reconhecimento de sua empresa e a tornando mais competitiva no mercado.
Deseja saber mais sobre como impulsionar suas vendas com publicidade na internet? Então marque uma reunião e descubra o que podemos fazer pela sua empresa! 


– Marque uma reunião e descubra o que podemos fazer por você

Deixe seu telefone abaixo e um de nossos especialistas entrará em contato