Main menu

Skip to content

O que são personas e quais os benefícios de utilizá-las na sua estratégia de marketing

Se você está abrindo uma empresa, lançando um produto ou até começando a trabalhar como afiliado, é importante saber quem são os seus compradores. Dialogar com seus clientes é um dos fatores essenciais para gerar interesse pelos seus produtos ou serviços, e isso só é possível a partir de um entendimento prévio sobre quem já os adquiriu ou ainda vai adquirir.  

Criar conteúdos úteis e que dialoguem com o seu público-alvo pode tornar seus  resultados mais assertivos. Na hora de trabalhar com marketing de conteúdo, a chave para o sucesso é estudar as melhores estratégias para que as pessoas conheçam seu produto ou serviço, e uma delas é conseguir definir bem quem é o seu público-alvo para criar conteúdos úteis a partir disso. Aí entra a criação da persona. 

O que é persona? 

As personas são representações do perfil ideal de clientes para as marcas, como personagens.  A partir de informações reais sobre o público que se quer atingir, como características demográficas, psicográficas ou comportamentais,  é possível retratar o perfil do seu consumidor, o que permite a otimização do seu diálogo com clientes reais. 

Resumidamente, a persona é a definição de com quem a sua marca conversará – e para isso é preciso pensar em todos os detalhes. Ela possui nome, idade, história pessoal, sonhos, objetivos, desafios e preocupações. Através da ideia de estar lidando com um cliente ideal, ela permite que você assuma o tom correto neste diálogo, dando um norte para as suas estratégias – dessa forma, se seu negócio não possui uma persona bem definida, suas estratégias não terão precisão e seu conteúdo acabará se tornando irrelevante. 

Persona x Público-alvo 

Embora os dois conceitos estejam relacionados, eles não dizem respeito à mesma coisa – mas não se preocupe, confundi-los é bastante comum. Para esclarecer: 

Público-alvo é um conceito mais amplo, ele se refere a  um segmento de pessoas como uma grande massa com algumas características em comum. A definição do público-alvo costuma vir de critérios sociodemográficos, como gênero, classe social, educação, nacionalidade, etc, o que não é suficiente para compreender os desejos, hábitos ou problemas do consumidor. 

Já a persona é um modelo completo, que retrata o consumidor ideal da sua marca, considerando seus desafios e dificuldades e como seu negócio pode ajudá-lo. Isso torna a comunicação muito mais fluida e efetiva. 

Exemplo de público-alvo: “Homens entre 20 e 50 anos que são empreendedores e trabalham para consolidar sua marca, passam muito tempo na internet, possuem renda mensal acima de R$10.000”.

Exemplo de persona: “Ana Laura, 29 anos, recém formada em design de moda, abriu recentemente seu primeiro ateliê. Gosta de viajar, fazer exercícios e curtir com amigos. É engajada nas redes sociais, sente que tem muito o que compartilhar com o público, e gostaria de estabelecer sua marca no mercado virtual”. 

Porque criar uma persona? 

Desenvolver estratégias de marketing para alguém sobre quem se tem mais informações torna o seu conteúdo mais bem direcionado e útil. Em outras palavras, a persona ajuda a produzir o conteúdo certo para a pessoa certa, aumentando suas chances de sucesso. Ela também permite segmentar os anúncios com mais precisão, reduzindo custos com links patrocinados e aumentando as chances de conversão. Além disso, pequenos empreendedores digitais também se beneficiam da criação de um avatar, não sendo uma estratégia aplicável apenas por grandes corporações. 

Como criá-la

Já te mostramos as razões pelas quais ter uma persona é tão vantajoso, mas afinal, como criar uma na prática?

Para isso você precisará de respostas para uma série de perguntas sobre os seus usuários. Diante disso, algumas opções são formulários, pesquisas de mercado, pesquisas online, etc. Depois de uma pesquisa detalhada sobre quem são seus compradores, ponha-se no lugar dos mesmos e responda com sinceridade a perguntas como quais suas expectativas diante do seu produto, quais os seus valores, metas, sonhos, o que consomem no dia a dia, e claro, como a sua marca pode impactar positivamente a vida dessas pessoas. 

Após finalizar sua coleta de informações, use-as para moldar sua persona através de uma ficha com dados específicos como nome, idade, trabalho, nível de estudo, medos e sonhos. 

Mas… Como criar uma persona sem ainda possuir clientes ou até mesmo um produto? 

Mesmo sem saber quem são as pessoas para quem você venderá, ainda é possível utilizar essa ferramenta seguindo alguns passos. São eles:

  1. Definir sua área de atuação

Uma boa ideia para quem está começando, é trabalhar com um produto ou serviço que já conhece bem, assim se torna mais fácil falar sobre ele e perceber quem são as pessoas que consumirão, o que possibilita a definição do seu nicho. 

  1. Interagir 

Pode parecer meio óbvio, mas muitos empreendedores erram neste ponto. Interagir com seus possíveis clientes é fundamental para compreender como eles funcionam e quais suas necessidades. Para por este ponto em prática você pode utilizar os fóruns nas redes sociais que sejam relacionados à sua área de atuação. O Facebook é uma ótima opção. 

  1. Utilizar o Audience Insights 

Essa é uma ferramenta do Facebook que permite que você veja quem são as pessoas que procuram por produtos ou serviços semelhantes ao que você planeja vender. 

  1. Criar formulários de pesquisa

Os formulários também são uma ótima opção para coleta de informações. Eles precisam conter perguntas sociodemográficas, e também comportamentais e psicográficas. Você deve disponibilizar seu formulário de modo que consiga coletar muitas respostas, como nas suas redes sociais, blogs e fóruns, direcionando sempre ao seu nicho. Mas é preciso tomar alguns cuidados como não fazer perguntas demais no formulário – o que desmotiva as pessoas a responder – , e pensar na quantidade de respostas que irá analisar, que não deve ser muito pequena nem muito grande. Algo em torno de 100 pessoas é suficiente para um começo, mas se houver necessidade é possível fazer uma segunda pesquisa.

Quando já tiver obtido uma boa quantidade de respostas, analise-as para compreender o perfil do seu comprador e começar a moldar a persona.

  1. Lançar o produto

Lançar uma “prévia” do seu produto pode ser uma boa estratégia para criar a persona, porque com o lançamento as pessoas farão comentários preciosos para você. Essa prévia se chama MVP (Produto Viável Mínimo) e é essencial para você entender a percepção do público sobre o que você pretende oferecer, e claro, para interagir com os consumidores e analisar o seu perfil, o que fornece base para a criação da sua persona. 

Como aplicar a persona em uma estratégia de marketing?

Persona criada. E agora, o que fazer? 

Pode parecer complicado, mas usar a persona para direcionar as estratégias de marketing é, na verdade, bastante simples. Basta ter em mente os seus interesses, hábitos e comportamentos quando for planejar alguma ação ou traçar suas estratégias. Um exemplo prático é a escolha da linguagem que deve ser usada nos canais de comunicação, escolha das palavras-chave, dentre outros fatores, de acordo com as características da persona. Considere-as também ao criar suas campanhas de mídia paga, para ter certeza de que sua mensagem será entregue para quem interessa.  

Os resultados

Em virtude da maior identificação com o público, utilizar personas na sua estratégia de marketing apresenta muitos bons resultados para a organização, já que é possível perceber as dores e lidar com os problemas do cliente de maneira mais eficiente. Assim a empresa proporciona uma experiência melhor para o usuário, o que gera compradores mais engajados. Então, independentemente de já ter clientes ou não, não deixe de criar a sua persona para que suas ações de marketing sejam mais completas e atinjam os objetivos do seu negócio.

Fonte:

Postado por Ana Falkine em 17 de junho de 2021